terça-feira, 2 de agosto de 2016

Por que escrever? ["Disclaimer"]

Olá pessoal. Tudo bem? Espero que sim.

Como escritora independente nacional, eu estive aqui pensando com os meus botões... Quais são os motivos que movem os autores a escreverem livros? Qual é o motivo de eu me levantar as 04:34 da manhã para escrever este texto aqui? Bem... o meu motivo para este post é que acordei no meio da madrugada e fiquei pensando sobre os livros que venho lendo de autores nacionais. O meu motivo para escrever livros, irei descrever ao longo deste post.

Dei uma pausa no blog porque me senti intimidada a escrever sempre bem das obras que leio. Bem, o motivo? Uma autora que critiquei construtivamente, me disse que gostou da sinceridade do meu texto (comprei o livro, mas não gostei muito dele). Só que depois, ela simplesmente passou a me ignorar no facebook, me tirou de grupos de livros dela e tal. Outro livro de um cara que eu comprei, achei um texto sexualmente incisivo em excesso (mas sexo vende e pessoas se aproveitam disso), outro autor que conversava bastante comigo até eu comprar o livro dele. Depois do post no blog, ele parou de conversar comigo.

Peraí galera, vocês sabem que existe algo que chama pós venda? Eu NÃO VOU comprar seu próximo livro se você não tem O MÍNIMO de consideração comigo, leitora. Não estou dizendo que o autor precisa concordar com minha opinião, mas no mínimo que deve respeitá-la. Outra coisa muito importante: Mesmo que eu odeie seu livro, o próximo eu posso comprar para ver o seu desenvolvimento de escrita/roteiro/criação/etc. Você pode estar pensando: e quem é você pra falar isso? Pra avaliar minha escrita? Eu não sou perita em nenhuma dessas áreas do saber, não sou professora de português nem nada, mas eu sou uma leitora e sei o que me agrada e o que não me agrada - e tenho direito de falar sobre isso. Sem mimimi, sem tititi.

Tenho percebido que as pessoas simplesmente decidem "vou virar escritor(a) profissional", mas não se dedicam à atividade principal da escrita como profissão. Aqueles que se intitulam escritores profissionais e vivem disso, muitas vezes escrevem mal e se dedicam mais ao "glamour" da fama, marketing e o mercado editorial em si que esquecem da parte principal do trabalho: escrever com qualidade. E escrever com qualidade não quer dizer escrever com palavras difíceis... Vejamos:

UM ESCRITOR É FORMADOR DE OPINIÃO

Um escritor, querendo ou não, tem a responsabilidade de trazer algo positivo para a literatura e para a sociedade em geral, sem "escrever por escrever". Um livro que não passa uma mensagem, que quando a gente pergunta para o autor "Por que você fez x e y coisa com tal personagem?" o autor simplesmente te responde "Para você ter vontade de ler o livro 2" (sério, isso aconteceu comigo) ou que não tem uma "moral da história", ao meu ver, não tem nada a acrescentar. Eu acredito que a gente pode aprender muito com livros, conhecer novas culturas, evoluir o pensamento de acordo com as dificuldades que os personagens passam, de como a história se desenvolve e quando, na conclusão, podemos tirar pra nossas vidas algo de positivo, algo de negativo ou apenas nos emocionar. Isso é o que me motiva na escrita. Transformar a realidade das pessoas à minha volta através das minhas histórias - longas ou curtas. Acrescentar. Somar. Fazer o leitor pensar.

Sinceramente, você que passa horas e horas a fio na frente de um computador e escreve um livro que não tem nada a acrescentar na vida das pessoas, não passa uma mensagem, não tem uma moral da história, para mim você não é um escritor: você faz memes/virais em formato de livro. Parabéns. Mas perco menos tempo olhando um meme de uma imagem só. Agradeço sua tentativa.

Eu estava com medo de me expressar de forma plena. Agora não estou mais. Tenho lido muita coisa boa, tenho lido muita coisa média, tenho lido muita coisa que me desagrada (e que, mesmo me desagradando, tem boa qualidade) e muita coisa ruim também.

Nunca tive intenção de tornar este espaço o que vários blogs são por aí: uma área para ganhar livros de graça, fazer amigos por "puxa-saquismo", ter publicidade, aparecer nas mídias sociais ou falar bem de quem me paga pra falar bem. Respeito os blogs sérios, mas muita gente sabe que por aí quem pagou mais ganha a melhor resenha, e não é assim que deveria funcionar. Muitos autores independentes criticam o "sistema", criticam editoras e o mercado editorial, mas pagam gente para fazer propaganda positiva de suas obras. Já pararam para pensar sobre isso?

Mas agora adquiri maturidade suficiente para voltar a escrever o que eu realmente acho dos livros que leio, porque embora eu tenha comprado ou recebido o livro por doação, não tenho obrigação de puxar saco do autor. O compromisso com o leitor (do blog e dos livros) é muito importante, tanto quanto o compromisso com o autor, pois o autor - ou qualquer pessoa - que saiba ouvir críticas construtivas irá evoluir muito em sua escrita - ou em sua vida pessoal -, e desejo contribuir para isso.

Pois bem... Fica aí uma música do Gabriel o Pensador para reflexão.

"Tem gente que escreve por ego ou só pra fazer firula
Meu texto é simples, sincero.
É tinta que sai da medula."

Nenhum comentário:

Postar um comentário